Pesqueira, começar a se mobilizar contra a violência

quinta-feira, 05 de outubro de 2017

Representantes do Ministério Público, Câmara de Vereadores, OAB, CDL, Igreja, SISMUPE e secretários da prefeitura participaram, hoje (05 de outubro), de um encontro solicitando segurança na cidade de Pesqueira. O evento, que foi realizado no auditório do Rosa Centro Comercial, contou com as presenças das promotoras de Justiça Dra. Andréa Porto e Dra. Jeane Bezerra.
Vários casos de assaltos, furtos e agressões foram registrados na cidade recentemente e pelo menos duas casas foram invadidas.
Durante o evento, o médico Augusto Costa descreveu os momentos terríveis que viveu nas mãos de bandidos, quando teve sua casa tomada de assalto há poucos dias. O relato chocou os presentes, quando a vítima disse que foi espancada barbaramente e ameaçada de morte. “Pensei que ia morrer”, disse o médico.
O Movimento Em Favor da Paz de Pesqueira “Bem Aventurados os que Promovem a Paz” foi criado a partir de conversas no whatsapp, onde cinco mulheres (Marcília Tenório, Micheline Morgana de Oliveira, Patrícia Rosa Dantas, Alessandra dos Santos e Águeda Rosane Rêgo Barros) comentavam a insegurança instalada em Pesqueira e decidiram convocar vários setores da sociedade para debater alternativas e chamar a atenção dos poderes executivos, Estadual e Municipal.
Com a mobilização, os representantes que criaram o movimento esperam sensibilizar as autoridades para que haja o aumento do efetivo policial, colocação de mais iluminação e câmeras de segurança nas ruas e nos bairros e a criação da delegacia regional civil.
No evento, o policial civil Marcelo Xavier, que é comissário de polícia, foi convidado a falar sobre a real situação da Delegacia de Pesqueira. “Nunca a delegacia esteve fechada, sempre esteve aberta para atender a população. O problema é nos horários de almoço e nos fins de semana, quando não existe efetivo para plantões”, informou.
O policial pediu ainda que todos os segmentos da sociedade, ali reunidos, solicitem em conjunto ao Governo do Estado a implantação de uma Delegacia Regional em Pesqueira. Isso, segundo ele, evitaria que as ocorrências fossem registradas em Belo Jardim (a regional daqui) e que um maior efetivo fosse destinado para Pesqueira.
As secretárias de Infraestrutura e Meio Ambiente, Sandra Valéria e Laís Maciel, respectivamente, disseram que a prefeitura faz a reposição de lâmpadas e humaniza terrenos baldios para evitar a ação dos assaltantes, mas Laís citou, como exemplo das dificuldades, que “faz dois meses que a Companhia de Energia não repassa os recursos provenientes da taxa de iluminação pública, cerca de R$ 100 mil, recursos que são gastos com a iluminação pública”, explicou. A promotora Dra. Jeane sugeriu que fosse esses recursos fossem cobrados judicialmente.
Já a professora Alessandra dos Santos fez um desabafo, dizendo que a criminalidade é reflexo da falta de investimentos na Educação, em todas as esferas. O que foi corroborado pela promotora: “Sou professora também e sei que a Educação em casa e na escola pode coibir futuros casos de violência”, lembrou Jeane Bezerra.
A vice-presidente da OAB Pesqueira, Micheline Morgana destacou que “É inaceitável o índice de violência que estamos alcançando. Por isso decidimos nos mobilizar e reivindicar ações concretas e urgentes”, completou.
Após o encontro, uma nova reunião foi marcada para o dia 19 de outubro, no mesmo local, para avaliar as primeiras ações e reforçar os pedidos às autoridades. Um ofício será enviado a Secretaria de Defesa Social e ao próprio governo pedindo soluções urgentes.

(Texto: Flávio J Jardim)

0

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR



Todos os comentários aqui externados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole algum direito, denuncie. AQUI.